Follow by Email

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Ele Conhece Nossas Necessidades

Ele Conhece Nossas Necessidades
Em Ti, pois, confiam os que conhecem o Teu nome, porque Tu, Senhor, não desamparas os que Te buscam. Salmo 9:10.
Era uma tarde de sexta-feira. Peguei um carrinho no supermercado e comecei a colocar algumas coisas dentro dele, somando mentalmente quanto eu estava gastando. O dinheiro que eu tinha daria para pagar os produtos, e eu ainda teria o suficiente para a passagem de ônibus para ir à igreja no sábado de manhã.
Então me lembrei da oferta que as crianças deveriam levar para a igreja. Tenho dois meninos gêmeos que na época tinham três anos de idade, e uma menina de 14 anos. Olhei de novo o carrinho para ver o que podia deixar fora. O tubo da pasta de dentes e as bolachas sairiam. Agora eu teria dinheiro suficiente para a oferta das crianças.
Quando cheguei à minha casa, encontrei um bilhete da minha irmã: “Fui a Madureira com as crianças.” Aquilo era estranho; ela nunca sai às sextas-feiras, especialmente à tarde.
Cerca de uma hora depois eles voltaram. As crianças estavam eufóricas. Minha irmã disse: “Você nem imagina o que aconteceu! Assim que chegamos a Madureira, havia um grupo de estudantes trabalhando com a secretaria da saúde. Eles aplicaram flúor nos dentes das crianças e deram a cada uma um tubo de pasta de dente e uma escova. Enquanto caminhávamos na direção de casa, passamos na frente de uma fábrica de biscoitos, e o guarda chamou as crianças e lhes deu tantos biscoitos que elas vieram comendo enquanto caminhávamos, e ainda há vários pacotes na sacola. Teremos biscoitos para vários dias!”
Mal pude crer no que ela dizia! As crianças haviam recebido exatamente o que eu tirara do carrinho do mercado. Mas havia uma diferença. Elas receberam muito mais do que aquilo que eu teria trazido para casa. Também receberam aplicação de flúor e escovas de dente! Além do mais, havia dinheiro suficiente para a sua oferta na igreja.
“Terá suprimento de pão, e água não lhe faltará” (Isaías 33:16, NVI). Essa é a promessa que o Senhor nos faz, e Ele a cumpre de maneira incomparavelmente melhor.
Deus nunca nos decepciona quando confiamos nEle e fazemos a Sua vontade. Tudo o que tentamos dar-Lhe, Ele devolve com bênçãos muito maiores.
Escrito por Isabel Cristina de Almeida Machado


Abraços.

Ana Paula Poncio da Silva

Procuremos ver o rosto de Deus

"Ao acreditarmos em Jesus, somos movidos a assumir as Suas obras em vista da promoção da vida plena para todos. Procuremos ver o rosto de Deus nos rostos das pessoas por Ele amadas. Talvez você me pergunte como aquele jovem do Evangelho de Lc 10,25-35: “Mas quem é o meu próximo?”. A resposta é simples: são os pecadores, os pobres, os humildes, os marginalizados, os andarilhos, os doentes, os encarcerados, as prostitutas, os alcoólatras e tantos outros. Aliás, quanto “pior” for a pessoa com quem você convive, melhor será para você. Por quê? Porque com fé, confiança e esperança na conversão dessa pessoa, você se converterá num verdadeiro orante e melhor exercitará a caridade, a paciência, a misericórdia, o perdão, o amor de Deus – que se dá no Filho para o perdão dos nossos pecados e salvação das nossas almas. Essa é a glória do Pai, à qual os discípulos são chamados a participar.
Como discípulos, eu e você somos interpelados. Peçamos ao Senhor que nos dê essa graça de sermos um em Jesus, Seu Filho, para que o mundo reconheça em nós o Cristo – enviado do Pai ao mundo -, cuja missão é a libertação da opressão e a construção do mundo novo de fraternidade e justiça."

Padre Bantu Mendonça

A quem você quer servir?

A quem você quer servir?
Enquanto permanecermos ligados ao sistema do mundo seremos influenciados por ele; dessa forma, não nos será possível entrar no sistema de Deus. Eles são radicalmente opostos.

É preciso fazer uma escolha: ou estamos no sistema do mundo ou estamos no sistema de Deus. É uma lógica: para sermos auxiliados pelo Todo-Poderoso precisamos estar no sistema d'Ele. Se continuarmos no [sistema] do mundo, seremos tratados pelo mundo e do jeito que este trata. Para deixarmos de ser vítimas desse sistema temos que deixá-lo de lado e nos colocarmos no sistema de Deus Pai.

Você já entendeu, é uma questão de decisão: ou estamos no sistema de César, o sistema deste mundo, ou estamos no sistema de Deus. Não se esqueça: César é inclemente, não tem piedade. Se continuar a servi-lo, você será sempre seu escravo. É preciso decidir-se por Deus, Seu Reino e Sua Justiça, que não é a justiça deste mundo.

Deus o abençoe!

segunda-feira, 7 de maio de 2012

A mãe que ora


Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa; seu marido a louva, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas
sobrepujas. Enganosa é a graça, e vã, a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada. Provérbios 31:28-30

Cedo de manhã coloquei a bagagem no porta-malas do carro e, com uma oração, parti para a viagem de três horas até o aeroporto. Sentia-me cansada, mas tinha um ótimo livro em áudio e isso me manteria acordada durante o percurso.

Depois de duas horas de viagem, vi um belíssimo cervo. O problema era que ele estava exatamente diante do meu carro! Tentei parar. Toquei a buzina – tudo inútil. Por infelicidade, aquela maciça criatura morreu instantaneamente. Fiquei assustada, mas grata por ainda estar viva. Meu carro anunciava os danos, enquanto várias luzes se acendiam no painel e uma fumaça saía por baixo do capô.

Dentro de minutos, as luzes da polícia rodoviária da Pensilvânia surgiram atrás de mim. Um bondoso policial me distraiu enquanto tomava minhas informações. Pouco depois, o motorista do caminhão-guincho me informou que meu carro havia sofrido perda total.

Eu me encontrava a duas horas de casa e a uma hora do aeroporto. Eram 3h15 da manhã – eu devia dizer da noite – e não sabia onde estava nem quem estaria acordado àquela hora para me auxiliar. Esperei até às 6 horas e então telefonei para minha mãe. Não lhe contei sobre o acidente, mas casualmente lhe perguntei se ela acabava de acordar. Como é seu hábito, ela contou que havia levantado no meio da noite para orar por mim. Novamente perguntei quanto ao horário em que ela teria levantado. Foi a hora do meu acidente! Quando lhe contei que, naquele momento, o carro havia sofrido perda total, tive certeza daquilo que já sabia: foram as orações da minha mãe que me preservaram a vida.

Sou muito abençoada por ser filha dessa mulher incrível que vive ajoelhada. Eu me levanto e lhe chamo ditosa. Sim, Jesus ainda ouve as orações das mães.

À medida que o Espírito sugere, ore por aqueles a quem você ama. Creio que estamos vivendo nos últimos dias deste mundo desmantelado, e nossas orações são necessárias agora, mais do que em qualquer outro tempo. É importante que as mães orem, mas é ainda mais vital que todas as mulheres, independentemente da idade, passem tempo em oração. Pense no quanto isso faz diferença!

Escrito por Sharon Michael- Meditação da Mulher 2012.




Abraços

Ana Paula Poncio da Silva
anaponcio@hotmail.com

A Verdadeira Graça


Com a ajuda de Silvano, a quem considero irmão fiel, eu lhes escrevi resumidamente, encorajando-os e testemunhando que esta é a verdadeira graça de Deus. Mantenham-se firmes na graça de Deus. 1 Pedro 5:12

Assusta-me a expressão “verdadeira graça” usada por Pedro, que aparece apenas nessa passagem. Estaria ele sugerindo que existe uma graça falsa, algo disfarçado de graça que não tem nada a ver com ela? Em outra passagem, Pedro menciona que algumas pessoas torceram o significado das cartas de Paulo (2Pe 3:16). Paulo foi um intérprete preeminente da graça. Fico imaginando se a deturpação a que Pedro se referiu poderia estar relacionada à torção da mensagem de Paulo sobre a graça.

Seja qual for o contexto, Pedro não tinha medo da graça. Ele concluiu sua primeira carta com uma saudação semelhante à de Paulo: “Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2Pe 3:18).

Na primeira carta de Pedro, em que se encontra a expressão “verdadeira graça”, o conceito da graça permeia o livro como um fio dourado. Pedro estava escrevendo para os cristãos que haviam sofrido por causa de sua fé e que enfrentavam a ameaça de novas provações. As passagens a seguir deixam isso bem claro: “Se vocês suportam o sofrimento por terem feito o bem, isso é louvável diante de Deus” (1Pe 2:20). “Todavia, mesmo que venham a sofrer porque praticam a justiça, vocês serão felizes” (1Pe 3:14). “Amados, não se surpreendam com o fogo que surge entre vocês para os provar. [...] Mas alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo. [...] Se sofre[m] como cristão[s], não se envergonhe[m]” (1Pe 4:12-16).

A verdadeira graça não é um sentimento passageiro e superficial. Ela capacita homens e mulheres a permanecer fiéis ao lado de Deus por mais forte que o vento da provação venha a soprar. A verdadeira graça solidifica a determinação, fortalece o falar e aguça os olhos da fé.

Para todos os que pregam um evangelho diluído e destituído de sua força total, o pastor Dietrich Bonhoeffer, que pereceu nas mãos de Hitler, falou de forma enfática e decisiva: “A graça barata é a pregação do perdão sem o arrependimento, do batismo sem a disciplina da igreja, da comunhão sem a confissão, da remissão sem a confissão pessoal. A graça barata é a graça sem discipulado, a graça sem a cruz, a graça sem Jesus Cristo, vivo e personificado.” O que, afinal, não é graça.

Meditação Matinal 2012.

Abraços

Ana Paula Poncio da Silva